21 de junho de 2017

Hábitos que quero passar a ter


A minha vida está sempre em constante mudança e eu nem sempre gosto disso porque perco hábitos que costumava ter - que eu considerava bons - e ganho outros tantos maus. Hoje decidi recolher vários hábitos que quero ganhar, de novo ou totalmente do início, e espero conquistá-los com o tempo. Ao publicar isto, obrigo-me (ou esforço-me mais) a cumprir os próximos 35 hábitos.

3 de junho de 2017

FAVORITOS DE MAIO


Maio para mim foi um mês estranho, não sei se foi horrível ou bom. Foi o mês das primeiras entregas, dos primeiros testes, do aniversário do Hugo, da semana académica, do cortejo e de tudo o que isso trouxe. 

31 de maio de 2017

Parabéns, amor!


Hoje a minha pessoa preferida faz anos, e eu não sei se hei de te parabenizar, se hei de te agradecer… 

24 de maio de 2017

Desisti do estágio. E agora?


Ando a escrever isto há uma semana, mas não conseguia dizer nada, faltavam-me as palavras para conseguir esclarecer que eu não quero dizer que desisti, pura e cruamente.
Na verdade, eu apenas desisti de andar sempre mal, sempre desmotivada, a sair de casa propositadamente para levar com comentários parvos, com pessoas que eu já não gostava antes do estágio e com aquelas que fui deixando de gostar lá dentro. Pessoas com quem não me identificava, que me custava aceitar que existem pessoas de mau caráter que estão aptos para fazerem de tudo para não perderem um lugar que nem sequer estava ameaçado.
Percebi que não estava bem, que nada disto me fazia bem e que preferia desistir enquanto me compensava o tempo livre que ia ter. Podia ter desistido antes, ter aproveitado melhor o meu tempo, mas decidi ir mesmo até ao fim, até onde eu aguentaria. E parei por aqui, não aguentava mais, já estava no meu limite.
Falei com a diretora de curso, e, mais tarde, com o professor que ficou encarregue pelo meu estágio. A minha diretora de curso percebeu logo, apoiou-me e ficou desde cedo do meu lado. O meu professor ficou de pé atrás, não me queria deixar desistir a faltar tão pouco para terminar, mas depois de relatar poucas coisas que me tinham acontecido, compreendeu e aceitou.
Fui ao hotel depois de receber o ok do professor, falei com a orientadora, não me justifiquei por aí além e ela disse que estavam (ela e a diretora) com planos futuros para mim, que tinham projetos que me incluíam, que realmente queriam ficar comigo depois do estágio. O meu professor já me tinha dito isto, que tinha sido falado entre os dois, mas nem assim fiquei com vontade de continuar lá.
Apesar de tudo, conheci pessoas que realmente são boas, que me ajudaram sem ser a “obrigação” delas, que me aconselharam, ouviram, confidenciaram, tudo. Há realmente pessoas por quem eu ficaria ali, pessoas das quais vou ter saudades e espero encontrar num futuro próximo, talvez não naquele local, mas noutro qualquer.
Sei que mais tarde me posso vir a arrepender brutamente disto, sei que perdi de facto uma grande oportunidade para o meu futuro, porque, entrar no mercado de trabalho logo a trabalhar na direção de um hotel é incomum, mas também sei que era o melhor para mim e para todos os meus males.
Há coisas que nunca vou deixar para trás nem pensar duas vezes quando estão envolvidas, e uma delas são os meus valores. Se há algo que está a interferir com eles e que me faz duvidar de mim mesma, sei que não é bom para mim. Se chegar a casa e chorar sempre, se sair de lá é o único momento do dia em que me sinto, não feliz nem tranquila, mas aliviada, sei que não era local para mim.
Não fico triste com nada do que fiz nem que deixei de fazer, não fico desiludida comigo em momento algum. Na verdade, estou muito orgulhosa de mim e do que suportei até aqui. Tenho plena noção que fiz tudo o que podia e que desisti porque foi o melhor para mim.
Espero que quando chegar o momento de me arrepender disto, à séria, seja também o momento em que percebo que nunca me pus em causa, nem a mim nem aos meus valores. Nem mesmo quando o prestígio, o status ou o dinheiro poderiam falar mais alto.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.