24 de janeiro de 2017

Família e um membro da família (GC 004)


A minha família é o meu maior orgulho. Fui criada pela minha mãe (atrás de mim na foto) e pelos meus avós (a minha avó está quase no centro), com a ajuda da minha madrinha (de preto com a bebé) e dos meus tios (o meu tio está ao lado dela). Cresci com os meus primos e os novos que chegaram foram-me acompanhando assim como eu os acompanhei a eles. A minha irmã  (no lado direito da foto) nasceu quando eu tinha 4 anos e só nos começamos a dar muito bem há pouco tempo. Os meus primos (a Raquel, que está de azul e o Nuno, que está na Holanda) sempre foram figuras importantes para mim porque eram os mais velhos, os que já tinham namorados, já saíam várias vezes, já podiam escolher a roupa que iam levar, já compravam coisas para eles quando queriam, já passavam férias com amigos, ... e eu ainda andava agarrada às pernas de toda a gente. Com isto, veio o Miguel (de óculos atrás da minha madrinha), que é namorado da Raquel. Ajuda-me em tudo o que tenha a ver com tecnologia e encomenda-me coisas online (para que mais serviria??). Começaram a namorar quando eu tinha 4 anos e até agora já conquistaram tanta coisa juntos. Duas delas foram a Lara (de rosa do lado esquerdo) e a Ariana (a bebé ao colo da minha madrinha), que eu agradeço imenso por existirem. A Lara nasceu em 2010 e foi, para além da minha irmã, a primeira bebé que acompanhei o seu crescimento. É, cada vez mais, uma miúda simpática, amorosa até dizer chega, e chatinha também, mas não me queixo por nada. A Ariana nasceu em Abril e já me deixa babada sempre que estou com ela. Cada vez mais sorridente e amorosa. Antes delas, nasceu o Gustavo (de azul, por baixo de mim), é filho do Nuno e nasceu na Bélgica. Só o conheci quando ele já falava e andava de um lado para o outro, mas não deixa de me orgulhar. A minha madrinha sempre fez tudo por mim, assim como o meu tio que diz que, para ele, sou a filha que ele nunca teve. Ambos me mimam até ao limite e fazem de mim uma mulherzinha sempre que falam comigo. A minha mãe é a mulher mais forte que conheci, a pessoa mais madura e pela qual eu agradeço sempre; a minha irmã é a minha melhor amiga e nada me deixa mais feliz e satisfeita que a nossa atual relação. Aos meus avós eu agradeço por tudo o que fizeram por mim e, estes sim, são por quem mais grata sou. Ao meu avô, por ter estado na minha vida até um terrível ano que o tiraram de nós, mas que até lá não se cansou de me educar, de me dar tudo ao que eu tinha e não tinha direito e por me ter feito ver o valor que eu tinha. Por me ter defendido sempre, mesmo quando eu não tinha razão, por ter sempre mostrado o orgulho que tinha em mim, que foi o que me trouxe tão longe. E, mesmo não estando comigo, é quem não me deixa desistir do que estou a conquistar. Não acredito, de todo, em Deus, principalmente agora que não o tenho comigo, porque tenho a certeza que se Deus existisse, não o tirava de mim tão cedo. Quando era mais pequena e toda a gente me impingia tudo que da igreja se tratasse, me "obrigavam" a rezar antes de adormecer, ou diziam que eu tinha que andar na catequese, ele foi o único que me disse que eu acreditava no que eu queria, porque ele também não acreditava em Deus desde que começou a perder as pessoas que mais lhe importavam. Também não sei se acredito que há vida para além da morte, mas espero, mesmo mesmo mesmo, que um dia volte a estar com ele.


À minha avó, ao meu amor maior, à minha pessoa: não tenho como agradecer nada nada nada que tenha feito por mim. Desde o lanchinho até às coisas "maiores" que me deu. Desde o biberão com leite que me levava sempre à cama de manhã, até me ter dado a oportunidade de continuar a estudar. Desde o tecto, comida e amor que me deu, até aos passeios que, muito de vez em quando, fazemos. Desde o "vai lá comprar aquela peça de roupa", até à roupa lavada e passada que me dá. Desde a preocupação de sempre, até à liberdade de hoje.
Sei que, se não fosse ela, hoje poderia não ter metade da educação que tenho, não seria tão mimada, não teria metade das coisas materiais que tenho, nem tão pouco teria um cantinho onde passar o fim-de-semana e as férias descansada com todo o mimo e simpatia que só ela me consegue dar.
Hoje luto por ser alguém melhor, para lhe retribuir com tudo o que fez por mim. Faço o que posso e não posso para acabar o dia/semana/mês/ano e saber que deixei a minha avó, em algum momento, feliz e orgulhosa por mim.
Vou-te sempre dar beijinhos repenicados para ganhares cócegas e ouvir-te rir, porque o teu riso é o melhor que posso ter ao final do dia.

20 de janeiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 13 jan-20 jan


Passei esta semana em casa do Hugo porque entramos de férias e queria passar tempo com ele. Como ele mora no fim do mundo, as temperaturas são sempre negativas e tudo o que me confortava eram estas coisas e os cobertores quentinhos. A mãe dele trouxe-nos um milka oreo enorme.


Eu tive que andar com pantufas e ainda assim congelava.


Tive direito a pequenos-almoços na cama enquanto víamos House of Cards.


Quinta-feira: tive a única e penúltima aula que me resta ter este semestre, fui ao dentista, fui passear com a minha mãe e a minha irmã pelo Porto, jantei em casa e, porque o pedido "oficial" que tinha falado aqui aconteceu, tive que sair depois de jantar.


Consequentemente, eu e o Hugo (que foi o doutor que ela escolheu para a acompanhar comigo), fomos à praxe à noite, dedicada a saber se era aceite para batizar ou não. Inicialmente fiquei no carro porque para batizar uma caloira, tem que ser um doutor (logo, eu ficava "apagada" disto), mas desde as 21h até quase à 1h o meu telemóvel foi morrendo e eu fiquei sem ter que fazer no carro, então fui ter com eles. Cheguei a casa às 3h e foi assim que a minha semana terminou.

16 de janeiro de 2017

Significant Other (GC 002)

Esta vai ser uma das novas rubricas do blog. Todas as semanas, todas as segundas-feiras, vou-vos trazer um post novo sobre Gratidão. Decidi procurar "desafios" deste género e encontrei este, que gostei logo. Como nas semanas anteriores (dia 2 e dia 9), não consegui publicar, este vai ser o juntar de duas semanas e dois respetivos temas. Na próxima segunda saem mais dois. 

Porquê começar o Gratitude Challenge? (GC 001) e Significant Other (GC 002)

Para mim, a palavra e a atitude de 2016 foi gratidão. E nada melhor que continuar a ser grata com estes desafios todas as semanas. Para além de me fazer escrever, fazem-me ser agradecida pelo que quer que seja.

13 de janeiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 6 jan-13 jan

Durante esta semana não tirei muitas fotos porque foi uma semana de estudo a toda a hora, entregas de trabalhos, testes, apresentações... O tempo para mim foi escasso e foi passado a dormir quando conseguia.


No sábado fomos ver Assassin's Creed, finalmente! O filme saiu no dia 5, mas era suposto ter saído a 20 e tal de Dezembro. Andei ansiosa o tempo todo e admito que não sabia o que ia sair dali, como é que eles iam conseguir o filme, etc, mas surpreendeu-me bastante e adorei!


Quarta-feira foi, mais uma vez, dia de carbonara. Esta semana começam as minhas férias e não sei como vou conseguir sem ter carbonara uma vez por semana.


Enquanto esperava que o Hugo chegasse, fui tirando fotos porque às vezes dá-me vontade de atualizar o instagram, ainda que raramente goste de fotos minhas e realmente as publique, mas ao menos tento.


Por fim, o último esforço. O último teste desta semana horrível foi na quinta e agora sim, já me sinto de férias.

6 de janeiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 26 dez-6 jan

Como disse ontem, o sunday photoday passa a ser o friday photoday. O conceito é o mesmo, tudo é igual, mudou sim o dia da semana por me dar mais jeito e por querer mudar todo o horário do blog. Como não publiquei na última semana, aqui fica desde dia 26.


A minha prima cada vez está maior e eu cada vez gosto mais de estar com ela, é sempre tão alegre e simpática. Também voltei a descobrir bolachas de canela em minha casa para me acompanhar durante o estudo. 



O ano começou e fui para casa do Hugo. Vê-lo a jogar. Nada mais entusiasmante. Quando finalmente ele aceitou ir dormir, fizemos um desvio para tirar fotos com uma luz bonitinha.


O ano começa e a minha vida continua igual, estudar estudar estudar. Até dia 12 vou estar sempre em redor dos livros como meu único remédio.


Descobri uma série nova. E já a acabei. Adorei do início até ao fim e não consigo entender porque só as melhores acabam. O meu bequinhas leu os meus desejos no twitter e assim que chegou a minha casa, veio acompanhado por um Chicken Bacon.


Enquanto esperava que o Hugo chegasse com as minhas coisas para estudar, comecei o meu caderninho de 2017. O escolhido foi este, que vou tapar com colagens, principalmente a marca. Também encontrei por casa canetas novas e bonitas.


Com o caderno, também comecei a planear o meu mês, que já estava ocupado e não estava metade escrito. Só quero que passe rápido.


Por fim, o melhor das minhas semanas é sempre isto: adormecer e acordar ao lado do Hugo.

5 de janeiro de 2017

Do zero

Neste novo ano decidi mudar tudo por aqui. A minha motivação para escrever e criar posts desceu significativamente e pensei que estava na hora de mudar algo. Então, o blog mudou. Mudou de cara. Mudou de header. Existem rubricas novas: Gratitude Challenge, posts sobre o meu curso, possíveis posts sobre o meu caderno de 2017. Uma nova página sobre mim e uma página criada para o contacto e para perguntas prestes a serem respondidas. Sunday Photoday turns to Friday Photoday. Horários novos: Segunda - GC. Quarta - Post Aleatório. Sexta - Friday Photoday. Possibilidade de vídeos para o blog.

1 de janeiro de 2017

Ano novo, Wishlist nova. 2017


Mais um ano que começou e mais desejos que voltamos a pedir quando a 00h soa.
Este ano, foram mais desejos do que coisas materiais. Penso que 2017 vai ser o ano em que a minha vida vai mudar completamente, se tudo correr bem, e eu só espero conseguir aguentar com todas as mudanças e que todas elas sejam para melhor.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.