25 de fevereiro de 2017

Birthday Wishlist



Eu faço wishlists para tudo e como estou quase a fazer anos, decidi trazer esta. A minha família costuma dar-me dinheiro para eu comprar o que quero, e a não ser que eu diga explicitamente que quero aquela coisa e que é assim e assado, não a vou ter. Este ano só disse ao Hugo, à minha mãe e aos meus amigos o que gostava de ter, por isso acho que a wishlist pode ter chegado um pouco tarde, ainda assim, posso ser eu a comprar em nome de alguém.

Passando às coisas que estão, efetivamente, na wishlist:

22 de fevereiro de 2017

CINCO • contas do instagram


Hoje trago-vos 5 contas do instagram, que descobri há pouco tempo e que me inspiram bastante. Espero que vos inspire também. Todas elas são em tons brancos, azuis, pasteis, e minimalistas até dizer chega.

Conheciam alguma?

20 de fevereiro de 2017

3 pessoas (GC 008)

Expressar gratidão para com 3 pessoas

De tantas pessoas que são boas e que fazem o bem por mim, achei que mesmo escolhendo estas 3, devesse agradecer a todas as pessoas que já fizeram algo por mim, quer estejam ou não na minha vida. Escolhi-os porque são muitas as coisas que me dão na minha vida e porque mesmo todas as palavras do mundo não chegam para estes.


O Hugo

Posso dizer milhões e milhões de coisas, posso partilhar outras tantas que já falei aqui e nenhuma há de chegar pelo que me és, pelo que me dás e pelo que me fazes. Se te agradecer por uma coisa, espero que todas fiquem claras. Quero-te agradecer pela segurança que me dás, por me tranquilizares e me equilibrares sempre, mesmo nos meus piores dias, nas minhas piores fases, em tudo, sempre. Obrigada meu amor.


A Inês

À minha irmã que tanto me altera, que tanto me atura e que tanto me chateia. A ti tenho que te agradecer por todas as vezes que me fizeste pensar "mas porquê que não nos damos bem?" porque mais tarde tive a resposta que compensou todos os momentos que me fizeram pensar isso. Se não nos dávamos bem é porque não era para ser, para que pudéssemos valorizar a relação que temos agora. Não sei se é por estarmos na mesma "fase" de termos poucos amigos e estarmos bem assim ou se é porque nos compreendemos mesmo, só sei que a tua amizade para mim dá-me a segurança que nenhuma outrora me deu e agora percebo que, realmente, não há melhor amiga que uma irmã.



A mãe

Como já disse, 1001 vezes, a minha mãe é a mulher mais fantástica, mais poderosa, mais lutadora, mais engraçada e mais forte que conheço. Tem o dom de nos fazer acreditar que podemos tudo, que a nossa felicidade está acima de qualquer pessoa, que a vida é lixada mas é bonita. Ela, e todos as suas imagens de "bom dia" no facebook - umas engraçadas, outras meh - fazem-me acreditar que cada dia é um dia e que devemos ser gratas por todos que passam por nós.

17 de fevereiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 10-17 fev



Esta semana foi praticamente dedicada ao Hugo porque só hoje é que não estive com ele. É a última semana de férias e estou a sofrer aos pouquinhos, mas por outro lado estou entusiasmada por voltar.


O dia dos namorados também se passou, fomos jantar - mais uma vez, francesinha - e tive direito à mala que eu tanto queria.


O restaurante era muito amoroso, tinha corações por todo lado e era super acolhedor. Quando chegamos a casa, o irmão do Hugo trouxe-nos uma caixa com bolinhos e estes faziam parte da caixa.


Antes de irmos para casa do Hugo, a minha irmã, como gosta de ser paparazzi, esteve a tirar-me fotos...


... e o Hugo a gozar com as poses que as raparigas fazem.

15 de fevereiro de 2017

SÉRIES • As que quero começar a ver


Agora que estou quase de férias, a minha mente enche-se com "Mas e o que vou fazer hoje? O que vou ver logo?". As séries que eu sigo já são algumas, mas não me chegam e tenho que conhecer mais ainda, viciar em algumas ao mesmo tempo e ver 30 temporadas de uma vez só. Porque não? Reuni algumas que fui ouvindo falar com o passar do tempo e que me despertaram curiosidade.

13 de fevereiro de 2017

Um amigo (GC 007)

Blog da Joana: aduplafacedejoana.blogspot.pt
A minha Ju. A minha Ju das pestanas grandes, do sorriso bonito, das sobrancelhas perfeitas, do cabelo amoroso. A Ju que me traz a calma, o equilíbrio e o positivismo que por vezes me falta.
Conheci a Ju há relativamente pouco tempo, graças ao blog e ao twitter. Sempre se importou comigo e sempre quis saber como estava, se me podia ajudar em algo, se havia alguma coisa que me incomodava, como tinha sido o meu dia, a minha semana, se a faculdade estava a correr bem, com a família, com o namorado, comigo. A Ju importa-se sempre e é provavelmente das pessoas mais preocupadas comigo que conheço.
Foi deixando comentários no meu blog, deixando marcas de carinho e que me faziam tão bem só de ler, mostrava que me admirava e que torcia sempre pelo melhor para mim.
Desde que nos fomos aproximando, a minha vida se tornou um pouco mais fácil porque ganhei alguém a quem podia contar tudo do meu dia quando chegava a casa, e ouvia o dia de alguém. Contava tudo o que me preocupava e o que me tranquilizava, até então não o fazia e contia-me, guardava tudo para mim e tornava-se tudo pior. Quase como um diário, a Joana tornou-se dos meus contactos mais frequentes.

Por tudo o que passamos diariamente, por sermos tão parecidas, pelas energias que ela me passa e pela tranquilidade com que me deixa, preciso de lhe agradecer todos os dias.

10 de fevereiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 3-10 fev

Como estou de férias, é difícil ter momentos para vos mostrar, porque não saio muito ou quando saio vou aproveitando.


Tivemos um aniversário no sábado, de um dos meus melhores amigos. Registei o caminho para lá...


... e lá. Foi um jantar agradável, o frango era delicioso e tivemos tudo à discrição. 


A semana continuou em casa da minha mãe, ficamos lá a dormir até terça e só saíamos para comprar o jantar ou, como no domingo, para passear.
Depois disso, fiquei all by myself a acabar westworld e a viciar um pouquinho no Sims 4. 

8 de fevereiro de 2017

Penúltimo semestre ✔


Este foi, provavelmente, o semestre mais complicado para mim. Em todos os aspetos: motivação, concentração, emoção, stress, amizades, notas, injustiças, etc.
Aconteceu-me tudo o que eu nunca pensei que pudesse acontecer. Confiei em pessoas que não devia sequer ter pensado que poderia dar uma hipótese, fartei-me (literalmente) de ajudar pessoas que nem sequer vão às aulas - não foi desta que consegui dizer "chega", mas está perto -, pus-me imensas vezes em segundo plano, chateei-me com amigos por causa do stress e do peso que tinha em cima de mim, acabei com algumas amizades que me vieram a provar que nem as eram, superei as minhas expetativas, deitei-me tarde e acordei cedo para ficar a estudar, imprimi milhares de artigos para ler e saber mais sobre vários assuntos, tive a cadeira que mais gostei até agora, tive más notas que aprendi a ver como notas fantásticas por ser uma das melhores da turma, mesmo que seja um mísero 13, aprendi a não me massacrar demais, a perceber que tudo tem o seu tempo, a duvidar de certos profissionais, a avançar coisas sozinha por não ter a ajuda que preciso e que não me dão, aprendi também que por vezes mais vale o pouco esforço do que o esforço em demasia, aprendi a não duvidar das minhas capacidades, a confiar em mim e a perceber que quando acho que sei, sei mesmo.

Estou no último ano, acabei o penúltimo semestre e agora que venha o último: 5 cadeiras, o estágio e o projeto final.

6 de fevereiro de 2017

Algo que alguém me deu e a cidade onde vivo (GC 006)


De todo este tempo com o Hugo e de todos estes anos de existência, este presente foi, talvez, o que mais significou para mim. Pela simplicidade, pela surpresa, pela pessoa que ofereceu, pelo significado que traz com ele. É um anel que eu já andava a namorar há algum tempo e é um dos que dei a entender ao Hugo que queria. Assim que fizemos 2 anos de namoro, esta foi uma das prendas que ele me deu.
Em toda a minha vida, foram várias as coisas que fui recebendo: nos meus anos, no natal, na páscoa, no dia da criança, ou num simples dia comum. Foram várias as coisas que me marcaram e várias as coisas que me deram jeito. Foram coisas caras, coisas baratas, coisas que não tiveram preço (não preço em numerário, mas sim em valor). E de todas elas, esta é a que guardo com mais carinho. É o meu acessório preferido, nunca saio sem ele e de todas as vezes que pensava que o tinha perdido, entrava em desespero. "Quem te mandou lavar as mãos depois de saíres da casa de banho?", "Quem te mandou tomar banho?" e mil e uma perguntas que faço a mim própria quando não sei onde o guardei. Com estas coisas, e depois de pensar ter perdido ou mo terem roubado na faculdade (mas afinal tinha-o guardado no bolso do casaco antes de lavar as mãos - porque o meu inconsciente acaba por ser mais consciente que o próprio), esquivei-me uma ou duas vezes de lavar as mãos em casas de banho de shoppings ou até da faculdade. Espero que as pessoas que me viram não pensem que sou uma porquinha, apenas percebam que o meu medo de perder este anel é maior que o que poderá acontecer se não lavar as mãos no WC.
Depois desta confissão muito bonita, acho que dá para perceber o quanto adoro este anel e o que ele significa para mim.

A cidade onde vivo


De todas as cidades que conheci, que confesso: não são muitas, esta é a que acaba sempre por me apaixonar. Vejo-a todos os dias, calco-a todos os dias, respiro-a todos os dias e é impossível fartar-me dela. Desde sempre que nunca percebi pessoas que dizem "estou farto/a do Porto"... Como?! Como é que consegues fartar-te desta cidade?
Da minha boca sempre se ouviu: não quero viver em sítio algum que não seja no Porto. Agora, as coisas são um pouco diferentes porque conheci Aveiro e apaixonei-me, assim como o Hugo, e acabamos por perceber que as casas lá são muito mais baratas, assim como o trânsito, as pessoas, tudo acaba por agradar com mais rapidez ao Hugo. Eu simplesmente adorei a cidade ao ponto de, provavelmente, considerar trocar o Porto por ela, por uns quantos aninhos. 
Ao longo dos meus 20 anos, sempre disse que o meu maior orgulho é ter nascido aqui e ter crescido por cá. Conheci as melhores pessoas da minha vida nesta cidade, cresci a ouvir os milhentos palavrões por nós inventados, aprendi a gostar de tripas à moda do Porto - ou do arroz, do feijão e do molho -, aprendi a não me encher com meia francesinha, ensinei o significado de muitas expressões nossas a várias pessoas, e, com o tempo, fui perdendo sotaque mas nunca a essência.
O nosso S. João, a nossa passagem de ano, a nossa avenida dos aliados, as nossas ruas, os nossos azulejos, a nossa história... qual outra cidade seria melhor que esta?
Desde que entrei na faculdade - também no Porto - tive que lidar com pessoas que não eram de cá, e, consequentemente, com pessoas que me diziam "tens mesmo sotaque do Puuuorto", "diz isto, diz aquilo". A coisa mais engraçada que me disseram, é que, para além das línguas estrangeiras que falava, também sabia portuense, rio tintense e ramaldense.
Todos os dias passo por Santa Catarina: uma das ruas mais Porto do Porto. E todos os dias me encanto com todas as pessoas com pressa, todas as pessoas com um enorme talento, com todas as pessoas com um tom de voz elevadíssimo, todas as pessoas amáveis e todos os sorrisos que aparecem. Já sorri muitas vezes para estranhos, já muitos estranhos me sorriram, principalmente os mais velhinhos, que são os que com eles trazem todo o misticismo da hospitalidade desta cidade.
Nunca me sentirei mais em casa que cá, nem nunca saberei chamar de casa a outra cidade. Porque, apesar de tudo, nunca serei capaz de colocar cidade alguma acima da minha: o meu fantástico Porto.

3 de fevereiro de 2017

FRIDAY PHOTODAY • 20 jan-3 fev

Durante estas duas semanas, foram poucas as coisas que fiz porque tive a última frequência dia 26 e as únicas fotos que tirava eram para ajudar colegas. No entanto, lembrei-me algumas vezes de tirar fotos aos meus resumos e à minha lapiseira nova (eheheh) para vocês.


Passei realmente muito tempo em volta dos resumos, das to-do lists, dos tópicos, dos artigos... Tudo sobre Pensamento Contemporâneo. Gosto mesmo muito desta matéria, mas os testes são um pouco complicados de se tirar boa nota e o professor é muito exigente, embora seja o meu preferido de todos!! Tive 15,25 nesta 2ª frequência e acabei a cadeira com 15.


Fui ao dentista porque os meus dentes estavam a entortar depois da manutenção e "desativaram" os brackets da frente para podermos mudar neste mês de Fevereiro. Não vejo a hora de tirar o aparelho, mas já faltou mais, bem mais.
Passei a semana a ser bem mimada em termos de comida, foi fruta, francesinhas, bifanas, bifinhos com cogumelos, sobremesas novas.. Não me posso queixar, de todo.


Nesta última semana, fui com a minha irmã comprar um telemóvel porque o dela já estava nas últimas e este passar dela para a #teamandroid já deu alguns problemas. O universo não a quer tirar da zona de conforto dela. Depois disso, fomos ao pavilhão Rosa Mota, para que ela pudesse renovar toda a sua coleção literária, mas nada lhe encheu muito as vistas. Por mim gritaram alguns livros mas não trouxe nenhum porque ainda tenho dois por ler e não quero ser uma hoarder.

Tecnicamente, estou de férias. E que bem que sabe este mini descanso.

1 de fevereiro de 2017

FAVORITOS DE JANEIRO


Este mês passou demasiado devagar para mim, mas no fim passou demasiado depressa. Tanto que me esqueci totalmente dos favoritos do mês. Como não preparei nada durante este mês devido a frequências, trabalhos, stress, desespero, etc, hoje trago-vos um lado “minimalista” dos favoritos. Com mais texto corrido e menos imagens, a não ser as que encontre por cá: pelo PC e pela internet.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.