1 de janeiro de 2017

Ano novo, Wishlist nova. 2017


Mais um ano que começou e mais desejos que voltamos a pedir quando a 00h soa.
Este ano, foram mais desejos do que coisas materiais. Penso que 2017 vai ser o ano em que a minha vida vai mudar completamente, se tudo correr bem, e eu só espero conseguir aguentar com todas as mudanças e que todas elas sejam para melhor.


            Para este ano eu quero:
Arriscar num novo estilo. A minha personalidade e as minhas vontades têm vindo a mudar ao longo deste tempo. Eu não arriscava em nada, zero, para mim até umas calças de ganga justas e uma t-shirt tornavam-me demasiado preocupada e achava que todos iam pensar horrores de mim, sei lá. Então contornava isso com camisolas larguinhas e casacos que tapassem uma grande parte. Tanto que a maioria dos meus casacos são M ou L (e acreditem que é muito porque uso o S e, por vezes, o XS serve-me bem). Quero que isto acabe e quero-me sentir bem no que visto, quero que a minha roupa diga o que eu sou e o que eu penso e quero sair à rua sem pensar “ai, isto é arriscar demais”. Quero usar vestidos justos. Quero usar skinny jeans sem me sentir culpada. Quero usar tops sem sentir que me vão olhar de lado por me “produzir demais”. Quero usar o que quiser e sentir-me livre com isso.

Aceitar-me por completo. Este vai ser o ano em que quero acabar com a minha baixa autoestima ou com a montanha russa no que se trata a isso. Quero aceitar o que sou, o que tenho a mais, o que tenho a menos. Quero saber olhar para mim e conseguir dizer as coisas boas que eu tenho.

Acabar o 3º, e último, ano com boa média. No início deste ano eu morria de medo de deixar alguma cadeira para trás, pura e simplesmente porque nunca me aconteceu e porque não queria que fosse no último que isso acontecesse. Tinha um medo terrível de me desiludir e de desiludir as “minhas pessoas”. Ainda tenho esse medo, mas quero mudar o desejo de “não quero reprovar a nada” para “quero acabar o 3º ano com uma boa média” porque dessa maneira, consigo tornar-me otimista, passo a acreditar em mim, e a minha energia e vontade mudam também.

Não ficar sem paciência para o projeto. Tenho partilhado aqui várias coisas sobre o meu projeto e penso que se note que esta tem sido a minha maior preocupação desde o início. Tenho trabalhado nisto desde Setembro, quando só me é pedido em Janeiro/Fevereiro. O meu desejo é que não chegue a um ponto em que não aguento mais e acabe por não ter paciência para continuar.

Quando este terminar, sentir-me feliz com o que fiz e que acabe recompensada. Em jeito de conclusão do ponto anterior, quero que o projeto acabe e eu fique satisfeita com o que fiz, e, no fim, que me sinta recompensada com o que entreguei.

Que o estágio me faça aprender. Para além do sítio onde vou estagiar, só espero que o que acabar por escolher me faça aprender mais coisas e que as que já sei, me ensine a melhorar.

Um trabalho em que me sinta realizada. No fim de tudo, espero conseguir arranjar emprego, espero não passar pela fase de me achar mil e uma coisas por não ter conseguido começar a trabalhar. E, espero que esse trabalho seja um que me faça perceber o que até agora ainda não consegui: o que eu mais gosto de fazer e ser.

Que seja inesquecível. E porque este ano é o último ano da minha licenciatura e é o ano em que sou finalista, não consigo não pensar no cortejo. O último em que vou ter um “papel”. O primeiro ano fui caloira, o segundo fui segundanista, e neste vou ser finalista. Vou de cartola e bengala e vou finalmente perceber e associar tudo o que passei até agora.

Tirar o aparelho. Penso que esta seja a única coisa que eu estou a desesperar que aconteça. Não que me magoe, não que eu não me sinta bem, mas sim porque sei que se torna uma boa despesa para a minha mãe. E, tirando isso, não vou mentir: estou ansiosa para me ver sem estes carris. Ao longo destes anos, quando era suposto eu ter começado a usar, eu tinha vergonha e não queria. Na altura em que aceitei que tinha que ser (6º ou 7º ano), a minha mãe não tinha hipóteses de pagar, então desde aí até 2015 fui simplesmente odiando o meu sorriso e todos os dias pedia para começar a usar aparelho rapidamente. Surgiu a oportunidade e, embora nem seja caro, acaba por se tornar. Mas quando tirar (em princípio, em Maio), vou fazer um post sobre a clínica, o aparelho, os preços, os “extras” e a minha opinião final.

6 comentários

  1. Os dois primeiros são super importantes para que os outros se cumpram facilmente. Sei bem que este vai ser um ano maravilhoso para ti, porque já estás pelo menos decidida a mudar. Só o facto de pensares como escreves aqui faz com que muita coisa vá mudar sem sequer te aperceberes.
    Quanto à licenciatura, tenho vindo a aperceber-me que és uma pessoa dedicada e esforçada, por isso, não te preocupes, porque o trabalho, mais cedo ou mais tarde, é sempre recompensado. E, quando se trata de pessoas maravilhosas como tu, a recompensa traz sempre surpresas.
    Para ti Dani, só desejo coisas fantásticas, coloridas e arriscadas. Pois sei que vais estar à altura. Tens imenso potencial girl! Go for it. Vou acompanhar-te sempre e relembrar-te do valor que tens quando precisares e não precisares. Isso é o que me proponho a fazer para ti. Ser um ombro, um braço, uma amiga, e recordar-te do que és capaz!

    ResponderEliminar
  2. Espero que consigas cumprir cada um
    Feliz 2017 e tudo de bom
    Beijinhos
    CantinhoDaSofia /Facebook /Intagram
    Tem post novos todos os dias

    ResponderEliminar
  3. Parece-me tudo muito bem e espero que consigas realizar estes teus desejos.:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Adoro que estejas a programar 2017 para investirem em ti, em todos os sentidos. Seja na forma como te expressas a vestir, na tua auto-estima ou na tua evolução académica/profissional. É incrível Daniela, e é esse o caminho. Nunca saímos a perder quando investimos em nós :)

    ResponderEliminar
  5. Espero sinceramente, que consigas completar tudo aquilo que queres em 2017 mas essencialmente que faças tudo com amor e paixão!

    ResponderEliminar

© Traffic in the Sky. Design by Fearne.