16 de julho de 2015

Do suposto feminismo

Estava eu no facebook quando vejo um rapaz que publica isto:
“"As mulheres mudaram um bocadinho nos últimos anos". "Nós percebemos que vocês (homens) não nos fazem falta para nada"
-Cristina Ferreira – TVI. Esta deve mudar o pneu do carro sozinha e tudo...”
De seguida, uma rapariga comentou a mandá-lo calar e a dizer que não são só os homens que sabem mudar pneus (até aí já estava a Daniela a abanar a cabeça tipo “toma!!!”), o rapaz responde-lhe que não está a falar do geral mas sim da “pessoa que disse isto”, porque “com certeza que não é ela que muda um pneu quando precisa”, até que a rapariga que me estava a deixar orgulhosa diz: estás a comparar as mulheres no geral com essa pindérica.
É aqui que me pergunto: como é que as raparigas se defendem em relação a estes argumentos contra um homem que nos tenta deitar abaixo, e no minuto a seguir já está a ajudá-lo a deitar abaixo a mulher que ele tentou gozar? É nestes momentos que me pergunto: como é que uma mulher que defende as mulheres também consegue insultar ainda mais uma mulher que já está a ser insultada?
Basicamente a rapariga defendeu-se a ela própria, mas depois, quando viu que a boquinha não era para ela e para as mulheres que ela gostava diretamente, concordou com ele.
Não consigo perceber como é que há homens que defendem mais os direitos das mulheres e a igualdade entre os sexos, que as próprias mulheres que, supostamente precisam mais dessas afirmações e mudanças que eles.

Serão apenas raparigas que não percebem a diferença de salários e que nunca foram subestimadas por serem mulheres? Serão aquelas raparigas que dizem que está tudo bem assim porque é da maneira que ganham uns copos num bar ou que não pagam a entrada numa discoteca? Serão apenas raparigas que não querem que o “senhoras primeiro” acabe? Que não valorizam o direito ao voto e ao trabalho? Que não agradecem o facto de já não existirem só para fazerem filhos e ficarem em casa a cuidar deles, a arrumar a casa e a cozinhar para o homem? A fazer tudo para eles, em prol do seu prazer e contentamento? Serão miúdas que não têm medo de passar por um monte de homens que chegam perto, que assobiam, que faltam ao respeito, que tocam sem sequer conhecer e no pior dos casos, que não percebem um NÃO e fazem delas um objeto sexual? Ou serão mulheres que percebem isto tudo mas acham que, se estas coisas não acabam, não vão fazer nada... Ou pior, vão estar do lado de quem manda as mulheres abaixo.
Eu quero viver numa sociedade que não me obrigue a estar na cozinha, que não me diga que é uma vergonha se eu não souber cozinhar mas que passa paninhos quentes num rapaz da minha idade, ou mais velho, que diz o mesmo.
Eu quero viver numa sociedade que não assuma que sou eu que faço as coisas todas lá em casa e não um homem. Que não pense que é um homem que faz o trabalho duro, como arranjar alguma coisa, furar alguma parede ou até que, o mais estúpido dos casos, é um homem que vai conduzir e não eu porque à partida ele conduz melhor.
Eu quero um trabalho que não me diga que não posso ser mãe e que interprete a gravidez como uma doença. Que só olhe para mim como a beleza e não a inteligência ou a força. Que não olhe para mim nos momentos em que precisa pedir algo que inclui a força, mas sim a um homem. Pode até ser um trinca-espinhas, mas sempre “tem mais força que eu”.
Quero uma sociedade em que não tenha que ouvir um “corres como uma menina”, “bates como uma menina”, como algo pejorativo.
Quero poder sair à vontade, vestida como eu quiser sem comentários como “depois queixam-se que são violadas” (percebam que mesmo que eu ande nua na rua, eu não “estava a pedir”), quero chegar a casa de madrugada sem ter que pedir que me acompanhem porque tenho medo de passar pelos homens que fazem comentários porcos, que se chegam tão perto de mim que dá para sentir o cheiro a álcool.
O mundo não precisava de dar um nome como feminismo a um movimento como este, ou de chegar a um ponto que quase nos sentimos obrigados a dividir-nos. O mundo só precisava que as pessoas, à partida, assumissem o facto de que um mulher vale tanto como um homem.

28 comentários

  1. Resp: Claro que me lembro de ti! Já tivemos juntas num meet! Badass lembraste?

    ResponderEliminar
  2. eu vi a entrevista dela com o vasco palmeirim e mais umas tantas famosas e gostei, acho que nós enquanto mulheres temos tanto direito a falar sobre x ou y como os homens.

    ResponderEliminar
  3. Concordo tanto contigo! :) Só tenho pena que mais gente não pense assim, e que tantas mulheres sejam consigam ser machitas, que muitas mulheres deturpem o que quer dizer feminismo e que , no fundo, as pessoas, não se respeitem mais!

    ResponderEliminar
  4. O mundo precisa de mais textos como este! Em que a mulher é vista para além daquilo que o passado a obrigou a ser. Que mostra a mulher como sendo mais. Porque, é verdade, nós somos capazes de tudo. E não, não precisamos mesmo dos homens! ;)

    ResponderEliminar
  5. Eu por acaso não sei mudar o pneu do carro. Mas confesso que mesmo que soubesse não diria que os homens não nos fazem falta para nada. O meu marido faz-me muita falta e sou daquelas que defende que há tarefas tipicamente masculinas, mas que ambos podemos desempenhar as tarefas do sexo oposto,

    ResponderEliminar
  6. ISTO! Ainda hoje passei por uma situação... Basicamente (contando assim muito por alto) uma mulher insultou-me porque eu estava sentada num banco com o meu namorado a beber uma cerveja! O mal da sociedade é que só olham para o próprio umbigo! Tantas vezes que já fui atacada na rua, em plena luz do dia, a gritar por ajuda e as pessoas à minha volta a baixarem a cabeça, a mudarem a direcção do olhar, a fazerem-se de surdas porque como não é com elas não importa!! E eu sou feminista, das verdadeiras!!! Não dessas que fazem uso de uma palavra quando está mais que visto que nem sabem o conceito da mesma!

    ResponderEliminar
  7. Tantos textos que chegam a ser virais e não têm qualquer conteúdo e depois leio o teu e sim, isto deveria ser partilhado as vezes que fossem precisas.

    Eu não digo que deveriamos ser uma espécie de irmandade ao género "vaginas united" que se defendem incondicionalmente. Até porque há gente maldosa independentemente do seu sexo. Mas acharem que uma pessoa pode ou não fazer alguma coisa consoante o seu género e que dentro do mesmo, há quem "orgulhe" as raparigas e envergonhe, o que é isso? Muitas vezes não passa de inveja, infelizmente.

    ResponderEliminar
  8. Ai meu deus, concordo tanto contigo. Em tudo! Tanto no facto de que as mulheres deitam mais a baixo outras mulheres do que homens, o que eu acho de péssimo gosto. Já temos os media a dizer que temos de ser de uma certa forma, os homens a quererem que sejamos dessa forma, se as mulheres ainda nos criticam estamos perdidas.
    Quanto à igualdade de tudo, concordo contigo! Estou cansada de ser tratada como menos que um homem ou como um objecto. Muito cansativo. As mulheres são seres extraordinários e deveriam ser mais estimadas.
    Nem vou comentar a parte do "estava a pedir para ser violada" porque me passo com essa, completamente, as pessoas não tem noção nenhuma do que dizem!!!

    AMEI completamente o texto :D

    ResponderEliminar
  9. Concordo tanto contigo!! Parte do problema que o feminismo pretende acabar é mesmo esse. A forma como as mulheres "olham" outras mulheres.

    ResponderEliminar
  10. Falaste muito, mas muito bem. Adorei este texto.
    Os grandes culpados pela desigualdade de género, nos dias que correm, ja não são tanto os homens, as mulheres tem imenso peso nisto. As mulheres que se dizem feministas e rebaixam outras mulheres com estereótipos machistas, as mulheres que dizem que nunca sentiram na pele a desigualdade, e não percebem onde é que ela esta, e por fim as mulheres que criam hashtags nas redes sociais a propagar o movimento 'i don't need feminism' e não entendem sequer porquê que existe um dia da mulher. Estas mulheres, dão-me vergonha alheia. E caio na falácia de dizer que lhe dava um par de estalos, mas ficava mais contente se elas fossem devidamente educadas em relação ao feminismo. Nos precisamos do feminismo pelas razões que tu enumeraste: um mundo mais justo, mais seguro para as mulheres!
    So não vê a injustiça, quem não quer.

    ResponderEliminar
  11. vi em algum lado que o feminismo está fora de moda... eu respondi, enquanto a diferença de salários for visivel, enquanto as mulheres forem abusadas e maltratadas, enquanto despedirem uma mulher porque ela engravidou... precisamos de feminismo!

    ResponderEliminar
  12. O mal de algumas pessoas é que para se defenderem a si precisam de insultar os outros. E a forma como algumas mulheres se tratam entre si é triste.
    Concordo tanto com o teu texto!

    r: Muito, muito obrigada *.*

    ResponderEliminar
  13. Tu tens tanta razão, tanta que para fazer um comentário á altura ia ter de repetir o que disseste. xD Mas posso-te dizer que se há coisa que me incomoda é mulheres verem outras mulheres serem, ofendidas e maltratadas e apoiarem/rirem só porque não gostam das mulheres em questão. é nojento.

    R: eu gostava de publicar de hora a hora mas não tenho tempo :( vou publicando quando posso, esta semana ja devo publicar algo da "historia" outra vez.

    beijinhos **

    ResponderEliminar
  14. Tudo aquilo que aqui escreveste é tão verdadeiro. Tão importante. Mas parece que poucos são ainda aqueles que se apercebem disso. Eu quero um mundo em que as mulheres se defendem umas às outras e que não fazem ainda pior do que os homens que já nos inferiorizam. Porque nós não somos inferiores. Porque nós somos iguais a eles. Porque ninguém me vai obrigar a ficar em casa a limpar porque é "coisa de mulher", porque eu não me vou sujeitar a uma vida em que o homem sai para trabalhar e eu estou em casa com o jantar feito à espera dele. E porque eu não quero ser vista com maus olhos por isso. Porque ainda falta muita coisa na sociedade e essa mudança é uma delas. Mas o facto de haver pessoas como tu, que já se aperceberam disso, é o primeiro passo para uma sociedade melhor. Ainda bem que és assim ;)

    ResponderEliminar
  15. Ninguém tem o direito de rebaixar ninguém:)

    ResponderEliminar
  16. concordo tanto contigo !!
    é triste a sociedade em que vivemos, que as mulheres são vistas como um simbolo de fraqueza
    beijinho ❤
    www.watermelonclouds.tk

    ResponderEliminar
  17. fico parva com os comentários de certas pessoas relativamente ao sexo feminino :o

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. r: apesar de tudo, daqui a uns anos as pessoas já não farão destes comentários, a mentalidade humana precisa de tempo para desenvolver e se tornar mais aberta... por exemplo, à uns anos atrás de certeza que ninguém acreditava que o casamento gay seria possível mas certamemte haviam pessoas que se manifestavam contra isso como tu te estás a manifestar agora :)

      Eliminar
  18. costumo dizer que em tempos a diferença entre os homens e as mulheres era causada pelos homens, mas hoje em dia, só não somos iguais porque nós, mulheres, não deixamos!

    ResponderEliminar
  19. costumo dizer que em tempos a diferença entre os homens e as mulheres era causada pelos homens, mas hoje em dia, só não somos iguais porque nós, mulheres, não deixamos!

    ResponderEliminar
  20. Grande, grande texto. As pessoas deviam ler este texto e pensar sobre os seus comportamentos.

    ResponderEliminar
  21. A guerra não é entre sexos e sim entre pessoas, como seres individuais. Uma mulher sente-se ofendida com esse tipo de bocas porque é mulher, porque "lhe serve a carapuça" e não porque defende os direitos de igualdade entre sexos. É pena, mas é o que acontece maioritariamente. Enquanto o egoísmo reinar, não há movimento algum que resolva seja o que for. Porque fica muito bem ser feminista porque sou mulher e me importo com o que dizem quando se referem às mulheres no geral, só porque eu estou lá inserida. Mas, se for uma mulher em especifico, quero lá bem saber. É a sociedade em que vivemos, infelizmente.

    ResponderEliminar
  22. Estive a dar uma vista de olhos pelo teu blog e já estava a pensar em seguir-te, mas depois deste texto fiquei convencida a duzentos porcento! É ótimo ver expresso em palavras aquilo que penso, defendo e no qual acredito! É triste saber que defendemos algo que muitos dos beneficiários não querem saber e pouca ou mesmo nenhuma importância dão ao assunto. Um dos grandes problemas é estarmos também numa "luta contra" pessoas que deveriam fazer parte do nosso grupo. A verdade é que é uma batalha para a qual conseguimos cada vez mais aliadas e aos poucos conseguimos mudar algumas mentalidades. Pelo menos assim o espero. Já diz o ditado "água mole em pedra dura tanto bate até que fura". Sinceramente é um tema que sempre fez parte de mim e pelo qual já tive imensas discussões, mas sou incapaz de ficar calada perante certas situações. Obrigada por estas palavras! Beijinhos!
    Blog: As Confissões da Andreia

    ResponderEliminar
  23. boas perguntas que colocas...é um assunto que tem pano para mangas.

    ResponderEliminar

© Traffic in the Sky. Design by Fearne.