28 de dezembro de 2015

15

Às vezes penso que não mostro o valor que te dou ou até que não te valorizo tanto como devia. Não é fácil ter um namorado como tu e meter na cabeça que tenho que me habituar a ter um namorado "de sonho" e que esse sonho não vai acabar, que posso dar tudo que não me vou magoar, mas és tão perfeito que eu não consigo perceber muitas vezes se estou a viver aquilo ou se ainda estou a dormir no teu peito e a sonhar com coisas que quero. Mas para quê sonhar mais se já te tenho? Já tenho o meu príncipe, o namorado que me leva o pequeno almoço à cama, tenho que te agradecer muito por isto porque sei que é difícil sair do quentinho para fazer algo que nem é para tu comeres. Mas também tenho que te agradecer por mil e uma coisas que fui perdendo o hábito. No primeiro dia em que me deixaste perto do metro agradeci-te muitas vezes e fui a pensar que foste querido comigo, nas vezes seguintes fui-te agradecendo e agora que às vezes até me deixas à porta de casa só te dou um beijo e nem sempre agradeço. Como quando me tiras comida ou quando me enches o copo ou quando me chegas alguma coisa. Ou quando vês coisas que eu quero em vez das coisas que tu queres. Ou quando mexo contigo e não te peço desculpa. Quando te magoo e não peço desculpa... Mas fica sabendo que sou eternamente grata por te ter como namorado e que nunca te quero magoar, nunca nunca. Obrigada por tudo o que fazes e continuas a fazer, desculpa por tudo o que faço ou pelas vezes que falho... Amo-te demasiado mesmo e nem reparei o quanto o sentimento cresceu. Mas cresceu, e muito, e eu acho sempre impossível amar-te mais.
Quero e anseio demasiado casar contigo, a nossa casa, o nosso espaço, o nosso tempo, tudo. Penso tantas vezes como seria e só me imagino mais feliz que nunca. Espero que isso se realize e que tudo seja fiel ao que imaginamos porque também te quero ver feliz quando tivermos a nossa casa ou quando casarmos ou o que quer que seja.
Amo-te mais que tudo meu amor, não sei viver sem ti e espero que percebas que te amo mesmo demasiado e que nunca te vou deixar. Vou estar aqui para te ajudar a passar por tudo, sempre. Obrigada por aturares este feitio difícil como a merda e não desistires em altura nenhuma porque "queres-me como namorada porque foi para isso que lutaste".
Para além de seres das pessoas que mais amo és das que mais admiro sem dúvida nenhuma.
Por isso obrigada por mais 31 dias do meu lado.

12 de dezembro de 2015

Christmas Wishlist

  1. Adidas 
    Ainda em dúvida se foram descontinuadas ou não, mas, materialmente, ero que eu mais queria este Natal.
  2. Pandora
    As asas em forma de coração porque sei que estou protegida pelo meu avô e o passaporte pelo meu curso e pela minha vontade de viajar.
  3. Kiko
    Adorei esta cor e deixo sempre até à última para o comprar, veremos se ainda é este ano.
  4. H&M
    A P A I X O N E I - M E pelo estojo de maquilhagem (claro que não o ia usar para maquilhagem) assim que o vi. Tornou-se a 3ª coisa que mais quero. 
  5. Primark
    Sempre que lá vou penso em comprar o pincel bronzeador mas deixo sempre "para a próxima" e o pincel de esfumar porque para além de precisar de um, é também pela curiosidade que tenho em experimentar os pincéis da primark. 
  6. Ikea
    Acho este caderno tão querido, mesmo que não precise dele.
  7. Essence
    Quando tento comprar o pó matificante na wells a que costumo ir, nunca há, assim como o lápis de lábios. Não é uma prenda que eu queira, é mais algo que eu quero comprar.
  8. Bershka
    Por fim, a segunda coisa que mais quero (e a primeira mais realista sendo que todas as pessoas que trabalham em lojas dessas me dizem que """já vou tarde demais""" para as sapatilhas), andei em cima de um casaco destes há uns 2 anos atrás, deixaram de vender e agora voltaram. Quero tanto tanto!
Gostaram? Que coisas gostariam de receber este Natal?

9 de dezembro de 2015

I'll miss you forever

2 anos e nada melhorou.
A saudade nunca acaba mesmo, só aumenta. O que dizem de "com o tempo isso passa", é mentira. Todas as vezes que o ouvi sabia disso mas dizia sempre "espero que sim".
Está quase a chegar o Natal e é mais um ano que não estás cá, já são 3 natais sem ti e no primeiro ano, ao acordar, desejei-te Feliz Natal, onde quer que estivesses. O choque é tanto, tinham passado duas semanas e eu ainda tinha esperança que te ia ver sentado no mesmo sitio de sempre. Quis sentar-me ao lado da avó mas recusei-me a ocupar o teu lugar. Ninguém o vai fazer, nem o lugar físico nem o emocional.
Nunca cheguei a dizer-te adeus ou o que quer que fosse e nunca vou ser capaz de o fazer, para mim ainda estás comigo e não quero nem consigo despedir-me de ti.
Na passagem de ano brindei a ti, mais tarde chorei por ti. No meu aniversário a mesma coisa. Quando entrei na faculdade igual. Quando trajei só queria ouvir que tinhas muito orgulho em mim, toda a gente me disse que ias estar orgulhoso e eu sei que sim, mas falta-me sempre a tua voz. Mas estou a aprender a tornar esse choro e essa tristeza em força porque tudo o que eu faço, sou e onde estou é por ti e por te ter como referência, caso contrário não conseguia nada na vida.
Há pouco tempo disseram-me que é normal toda a revolta que sinto porque os nossos super-heróis ocupam um grande espaço em nós que quando nos deixam, é impossível preencher esse espaço com o que quer que seja. E tu és o meu super-herói. O meu avô, o meu pai e a minha eternidade.

2 de dezembro de 2015

fourteen and counting

Se amar é agradecer tudo o que fazes por mim, nem que seja interiormente, se amar é querer estar o maior tempo possível agarrada a ti, se amar é ter medo de te perder a cada segundo que passa, se amar é querer-te perto a toda a hora, se amar é ficar irritada com tudo o que fazes porque gostas de me ver assim, se amar é dedicar-me a ti com tudo, se amar é não controlar a felicidade, a tristeza ou qualquer sentimento quando estou contigo porque há muito tempo que não sei o que é não ser transparente, se amar é ter saudades por não estar contigo um dia, se amar é tentar fazer tudo o que posso para que sejas feliz, se amar é sentir-me inútil quando isso não acontece, se amar é ter a cumplicidade que temos, se amar é sujeitar-me a coisas que antes nem sequer pensava conseguir, se amar é cuidar, tratar, .., é suportar as tuas dores, é dar-te toda a felicidade, é ver em ti o que via no primeiro dia, é saber que tenho o homem certo do meu lado, é ter medo que te fartes de mim, é ter medo de estragar tudo, é sorrir por ouvir o teu nome, por te ver ou por ouvir a tua voz.. Se amar é tudo isso, eu só aprendi agora, contigo. Se amar é tudo isso, eu tenho que te agradecer por saberes fazer com que eu te ame sem fim. Agradecer também pela paciência que tens comigo. Pelo que arriscas por mim, pelo que fazes mesmo não devendo, pelas vezes que me defendes, pelas vezes que me fazes rir e até chorar, por estes 14 meses e uns dias.

18 de novembro de 2015

Mais de 1000 razões para ser feliz 002

Praia à noite ♡

4 de novembro de 2015

Mais de 1000 razões para ser feliz 001

Quando chega aquela do ano em que cheira a Natal misturado com o outono e tudo o que nos rodeia são decorações natalícias, luzinhas, ...

1 de novembro de 2015

INSTAGRAM • Outubro

O mês em que começam todas as preocupações académicas... Os testes, os trabalhos, as rotinas de estudo, a semana de recepção (que em nenhum dia tirei fotos), etc. Este mês fui muito pouco assídua no instagram mas estou a tentar mudar isso para novembro.

28 de outubro de 2015

treze ♡

E eu continuo a ser a mulher mais feliz do mundo como no primeiro dia, na primeira semana ou no primeiro mês. As coisas não mudam, as coisas não perdem valor e eu sou tão agradecida por isso. 
Tenho o melhor namorado do mundo e a melhor relação que conheço, tenho todas as razões para ser feliz e mais algumas. Começando e acabando sempre em ti. 
Sei que sou chata 24/7, sei que tenho um feitio de merda que parece que estou sempre a testar a tua paciência, sei que amuo com pouco e por razões muito estúpidas mas também sei que se já aturaste tudo isto por mim, não me vais deixar por mais nada.

3 de outubro de 2015

Daniela&Co 001

O meu sonho é ser hospedeira de bordo há já algum tempo mas nunca andei de avião

2 de outubro de 2015

INSTAGRAM • Setembro


Setembro para mim é um mês muito especial. É o fim do verão (que quase sempre é sinónimo de corte de cabelo), o início das aulas e o nosso mês. E em Setembro consegui concretizar 4 objetivos dos 101!
  1. O nosso primeiro ano
  2. A prenda dele, já aberta
  3. O nosso jantar
  4. A prenda que o Hugo me deu
  5. Depois do corte acima referido (que dor)
  6. Vistas durante viagens
  7. A vista para a praia de Matosinhos
  8. Quando a minha mãe concretiza os meus desejos
  9. O melhor jogo de sempre

30 de setembro de 2015

♥ one year

Um ano passou e consigo lembrar-me de tudo com clareza, consigo lembrar-me da cor da camisola que tinhas vestida, de cada sitio onde paramos, da color run, das voltas que demos, das tuas expressões, de nos rirmos do GPS.. Há um ano atrás, deixei tudo o que tinha para me dedicar a ti e para te fazer feliz. Lembro-me de me queixar da praxe e pensar em estar calada porque podias-me deixar por ser tona ou medricas, de ter começado a exigir mais liberdade por ti e para estar contigo porque podias-te fartar de mim por não conseguir sair quando querias, de começares desde sempre a fazer o que eu dizia que era melhor, de te preocupares sempre comigo, de dizeres que estavas "com a Daniela" à tua mãe sem ela saber quem eu era, de os teus amigos saberem das coisas e terem torcido por ti e quererem-me conhecer nesse mesmo dia, do que senti quando começamos a falar, do que senti quando estive contigo, do que senti quando falamos e quando nos sentamos e até quando me pediste em namoro.

24 de setembro de 2015

Mudanças

Mudei o nome, o url e o aspecto do blog. O anterior (o chão que pisas sou eu) veio de arrasto com o antigo e era algo que já não fazia sentido para mim por isso mudei para Traffic in the Sky, por ser uma música do Jack Johnson, porque para além de vida aérea faz-me lembrar constelações e porque, de alguma forma, trânsito faz-me lembrar do Hugo e céu do meu avô. Há muito que andava há procura do "título perfeito" e este foi o mais próximo disso que encontrei (e eu que estivesse 100% bem com alguma coisa... Era de admirar).
E porque isto já me aconteceu uma vez (e não quero mesmo que volte a acontecer), ninguém tinha o meu feed atualizado no painel do blogger por eu ter mudado a url. Se não viram este post no vosso painel, peço-vos para deixarem e voltarem a seguir de novo.

6 de setembro de 2015

Perguntas

Com estas atualizações no facebook sobre as colocações, lembrei-me de como estava há um ano atrás, com o medo que tinha e todas as perguntas que pairavam na minha cabeça sobre como ia ser isto ou aquilo e tinha vergonha de perguntar a quem quer que fosse, via tags sobre a faculdade mas não me respondia a muitas das minhas dúvidas. Por isso, embora não seja expert nenhuma, aqui estou a pedir-vos para que me façam as vossas perguntas (óbvio que pode até nem ser sobre a faculdade) para que eu vos responda e me sinta útil, mas também para aquelas pessoas que não conhecem ninguém a quem possam perguntar (ou que têm demasiada vergonha) ganhem uma oportunidade para esclarecer dúvidas.

4 de setembro de 2015

Sobre a praxe

Um dos maiores medos que todos os estudantes que vão entrar para o 1º ano têm, é a praxe. Eu não conheço pessoas que gostem um bocadinho da praxe. Eu conheço pessoas que adoram ou que odeiam a praxe. Não há meio termo.
Embora (para uns injustificavelmente) muito criticada, na minha opinião, só devia ser criticada por quem a vive. Não há duas faculdades com praxes iguais, com doutores ou veteranos iguais e muito menos com caloiros iguais. É diferente em todo lado.
Comecei a minha vida de caloira no ano passado, pouco depois de muito se falar da tragédia do Meco. Na altura em que via isso na televisão não estava preocupada com o que iria ser a minha vida porque pouca vontade tinha de ir para a faculdade.
No primeiro dia, fui uma tarde inteira à praxe e senti tanta coisa misturada que assim que cheguei a casa desatei a chorar. Eu detestava que berrassem comigo, que tentassem mandar em mim e não estava com a mente suficientemente aberta para estar ali. Pensei novamente se haveria de continuar ou não e só voltei na semana seguinte, a de receção. Foi a melhor decisão que tomei desde que entrei na faculdade, pois foi aí que vi que a praxe não é só berros e sentir-me inferior a toda a gente, mas também é fazer amizades e sentir uma grande união e companheirismo.
O discurso que ouvi todas as semanas durante este último ano, entrou finalmente na semana da queima. Na semana do cortejo, da serenata… Aquele discurso que é suposto sermos uma família, que temos que nos orgulhar e honrar a faculdade fez sentido na última semana, quando vesti o traje, porque “o traje não se veste, sente-se”.

Para os caloiros deste ano:
  • Experimentem
    Não digam não à praxe sem terem posto lá os pés. Não digam que não só pelo que vêem ou ouvem de fora.
  • Mente aberta
    As “ordens” que vos dão, ou melhor, a praxe que vos dão não são para vos inferiorizar. À partida já sabem que há uma hierarquia (só em momentos praxisticos, mas há), logo, uma praxe não será para reassumir isso. É difícil aceitar que há ali alguém a tentar mandar em vocês e a impor respeito, mas é esse respeito que vos vai ajudar a crescer ao longo do ano. Os mesmos que te berram são os que te vão fazer perceber que não és inferior nem superior a alguém. És tu e estão todos ao mesmo nível (no final, claro, caloirinhos estão sempre no fim da hierarquia ahah)
  • Não pensem que a praxe é um passaporte
    Porque não é. Não vos vai dar para se darem bem com toda a gente, ou para o ano vos correr melhor.
  • Não façam obrigados
    Façam porque querem, porque gostam, mas nunca por obrigação.
  • Não pensem que vão ser excluídos
    Se não gostaram da praxe da vossa faculdade, saiam, ninguém vos obriga a estar ali, como disse. Se não se sentem bem, saiam. Se não gostam do que sentem, saiam.
  • Não se “acanhem”
    Ninguém manda em vocês, se não gostam, não querem ou não podem fazer algo, digam.
  • Não tenham medo
    Esta é das mais importantes. NÃO TENHAM MEDO DE NINGUÉM. Os doutores não são nenhum bicho papão. Se vocês mostrarem medo, vão-se concentrar mais em vocês, ou para vos assustar mais, ou para vos fazer perceber que não há razões para isso.
  • Os doutores não são bichos nenhuns
    Como disse anteriormente. Eles estão lá para vos ajudarem, para serem a vossa nova família. Não para vos assustarem e vocês fugirem deles a sete pés.
  • Respeito
    Quando digo para não haver medo, isso traz uma nota óbvia ao lado: tenham respeito. Lá por não terem medo não quer dizer que tenham que faltar ao respeito porque não vão ser penalizados por isso. Os doutores/veteranos são pessoas como os caloiros que exigem respeito sendo que, à partida, também vos respeitam.
  • Não tenham vergonha
    O que vocês estão a passar, os vossos colegas também estão. Não tenham medo de fazer figuras ridículas.
  • Saibam escolher
    A vossa família de praxe (padrinhos e irmãos) vai ficar convosco até ao fim. Saibam escolher. Não escolham por serem bonitos ou porque todos gostam. Escolham porque sabem que se preocupam e vos vão ajudar em tudo, serem as vossas bases, os vossos amigos. No final de contas, esta vai ser a vossa família. Vocês são privilegiados por poderem escolher. Não errem.
  • Vivam
    Se optaram por continuar, vivam t-o-d-o-s os momentos que a praxe vos proporciona, sejam as praxes mais simples, as músicas da faculdade, a semana de receção, sejam os confrontos com outras universidades, o cortejo, a queima, as serenatas, as praxes noturnas, porque o ano de caloiro é o melhor ano da faculdade! Aproveitem!

31 de agosto de 2015

INSTAGRAM • Agosto

Instagram: @danwuv

Em Agosto publiquei mais fotos do que costumo publicar nos outros meses, estas são uma selecção de todas. Este mês pareceu passar tão rápido que eu ainda nem percebi se me agrada que amanhã já seja Setembro ou não.

1. 11 meses
2. O Hugo a cozinhar
3. O mar na Foz
4. Cinema: Insidious 3 
5. O Hugo a dormir 
6. Eu a ser ignorada
7. Um dos preferidos de sempre
8. CaipiCompany
9. Ondular o cabelo 
10, 11, 12. E três fotos minhas deste mês

28 de agosto de 2015

Obrigada, (meu) amor

Fazes-me bem só de me tocar, só de olhar para mim, só de me beijares e abraçares. Fazes-me bem desde sempre, desde há um ano atrás ou mais mas há onze meses melhoraste tudo o que era possível. Fizeste com que me desse vontade de viver, só por ser tua e fazeres com que me orgulhe disso todos os dias. És o melhor e não sei viver de outra maneira, ou da maneira antiga desde que te tenho comigo. És o melhor e não sei o que é acordar e deitar horas depois sem ser feliz todas essas horas. És o melhor e não sei que faria se não tivesse. Não morria mas também não vivia. Tu ensinaste-me a aproveitar a vida. Mesmo que por vezes aproveitar a vida seja estar sentada no sofá ou deitada na cama a ver um filme e a falar sobre tudo o que há pra falar contigo, do teu lado. Mesmo que aproveitar a vida seja ficar a ver-te cozinhar ou a ver-te dormir. Mesmo que aproveitar a vida seja ficarmos por casa. Mesmo que aproveitar a vida seja andarmos de carro, a ouvir música que me faz olhar pela janela e de tão perfeito que sinto tudo, até imagino as paisagens e as pessoas como um videoclip dessa música. É parvo, eu sei, mas é sempre assim que me fazes sentir. Não parva, mas apaixonada. Porque eu sei que estou a aproveitar a vida da maneira que eu quero só pelo simples facto de te ter a meu lado e de estar a viver contigo. De estar a criar um novo capitulo há quase um ano e de estar a fazer desse o melhor capítulo do meu livro, que é a vida.
Por vezes tenho vontade de me abraçar a ti até te esmagar ou de te beijar até te tirar o ar porque são os momentos em que seu percebo o quão agradecida estou por te ter comigo, por te ouvir dizer que me amas e ai estou eu a aproveitar a vida outra vez.
Por isso obrigada por me fazeres aproveitar a vida tão bem. Por me fazeres ter a certeza absoluta que daqui a uns anos não vou achar que nada do que passei contigo foi uma perda de tempo, por seres diferente de toda a gente e por seres meu há onze meses e que sejas meu para sempre, para sempre e mais um dia.
Obrigada por me ensinares a amar, por seres o meu pensamento da palavra "amor", porque uns imaginam cores, outros cheiros, eu imagino-te a ti.
O amor ensinou-me muita coisa, o amor ou talvez tenhas sido tu. O amor ensinou-me a esperar, a controlar, a ouvir, a perceber, a ajudar, a crescer, a querer. O amor até me ensinou (ou obrigou) a saber o nome dos super-heróis da marvel, ou pelo menos os que fazem parte dos avengers. O amor ensinou-me a gostar desse tipo de filmes e de me enfiar duas horas no cinema para ver filmes que não eram o meu gênero, mas que agora são (por tua culpa). O amor ensinou-me a ter novos ideais, novos planos, e, simplesmente o amor deu-me futuro e um novo eu. O amor deu-me felicidade.

19 de agosto de 2015

Sobre a faculdade

Este ano decidi começar uma rubrica com conselhos para a faculdade, começando por aí, passando pela praxe, pelo material básico e pelos pedidos e perguntas que talvez me possam fazer.

Aos que vão começar agora a vida académica, desejo-vos sorte para o vosso novo desafio mas desejo-vos ainda mais sorte para encontrarem algum ano na vossa vida tão bom como estes vão ser. A faculdade requer muita paciência e determinação, vontade de ser alguém e muito estudo.
A faculdade muda-nos. Bastante. Vai mudar a maneira de pensar. Faz-nos perceber que já somos adultos, que tudo à nossa volta é novo, faz-nos sentir em casa assim que nos habituamos, faz-nos pensar “quem era eu antes disto?”. Os nossos pais já não vão querer meter-se tanto na nossa vida, porque desde o primeiro dia nos vêem mais crescidos, logo, os problemas não vão ser resolvidos com tanta ajuda como antes. Principalmente se formos para uma faculdade fora da nossa cidade, aí sim, a faculdade obriga-nos a crescer em dobro.
Mas nem tudo mete medo, para os que gostam de conhecer pessoas e sítios novos, a entrada no ensino superior dá-nos esse privilégio.

Quanto a conselhos, se tu vais entrar este ano na universidade…

31 de julho de 2015

Para sempre e mais um dia

Passo por tudo o que tiver de passar só para saber que naquela noite vou-me deitar no teu peito e adormecer, e no dia seguinte vou acordar e ver-te dormir, pensar que daqui a uns anos vai ser a minha primeira visão de todos os dias deve fazer de mim a pessoa mais feliz do mundo por uns segundos e como não consigo aguentar tanta felicidade em mim, tenho que acordar-te com beijinhos porque é tudo o que me apetece fazer: mimar-te, mimar-te e mimar-te.
Mereces tudo o que te possa dar, o que te possa fazer e o que de bom te possa dizer. Não conheço pessoa melhor que tu. Não sei se existe o namorado perfeito, que atira chocolates à namorada à distância quando ela está com o período por medo que se transforme num pokemon raro e o ataque; não sei se existe o namorado perfeito que compreenda as mudanças de humor da namorada; não sei se existe o namorado perfeito que percebe a 100% quem tem ao seu lado mas sei que existe o namorado perfeito. E esse és tu. Podes não me perceber a toda a hora, podes mostrar que a melhor prenda que te podia dar era um livro para te ensinar a compreender às mulheres, podes também não me dar chocolates quando estou naqueles dias mas és, realmente, a minha ideia de “namorado perfeito”. Não digo que o és por ser um clichê. Digo porque o és. Nunca ninguém chorou à minha frente por ter medo de me perder, nunca me tinham pedido tanto para nunca o deixar. E é isso que prova que me dás valor. E é nisso que ganhas tudo de mim. Quando sei que me valorizas, quando sei que pensas em mim para além do que sou ou do que eu própria vejo em mim. Quando me melhoras, não querendo que eu mude.

16 de julho de 2015

Do suposto feminismo

Estava eu no facebook quando vejo um rapaz que publica isto:
“"As mulheres mudaram um bocadinho nos últimos anos". "Nós percebemos que vocês (homens) não nos fazem falta para nada"
-Cristina Ferreira – TVI. Esta deve mudar o pneu do carro sozinha e tudo...”
De seguida, uma rapariga comentou a mandá-lo calar e a dizer que não são só os homens que sabem mudar pneus (até aí já estava a Daniela a abanar a cabeça tipo “toma!!!”), o rapaz responde-lhe que não está a falar do geral mas sim da “pessoa que disse isto”, porque “com certeza que não é ela que muda um pneu quando precisa”, até que a rapariga que me estava a deixar orgulhosa diz: estás a comparar as mulheres no geral com essa pindérica.
É aqui que me pergunto: como é que as raparigas se defendem em relação a estes argumentos contra um homem que nos tenta deitar abaixo, e no minuto a seguir já está a ajudá-lo a deitar abaixo a mulher que ele tentou gozar? É nestes momentos que me pergunto: como é que uma mulher que defende as mulheres também consegue insultar ainda mais uma mulher que já está a ser insultada?
Basicamente a rapariga defendeu-se a ela própria, mas depois, quando viu que a boquinha não era para ela e para as mulheres que ela gostava diretamente, concordou com ele.
Não consigo perceber como é que há homens que defendem mais os direitos das mulheres e a igualdade entre os sexos, que as próprias mulheres que, supostamente precisam mais dessas afirmações e mudanças que eles.

28 de junho de 2015

Obrigada por me mostrares um mundo em 9 meses

Há pouco mais de um ano, a minha avó disse-me “só espero que encontres alguém como o teu avô” e eu pensava que isso era uma coisa impossível e nem sequer ia tentar, passasse o tempo que passasse. Uns meses depois tu apareceste, eu não percebia que tinhas vindo para ficar então nem me dedicava a ti, não me esforçava para perceber como eras, se valias a pena… Até que não sei como nem porquê, tudo isso mudou, eu passei a entregar toda a minha atenção a ti e ao que dizias, a como agias, ao que fazias, e surpreendias-me sempre mais e mais e mais. Na altura não percebia o que estava a acontecer, nem sequer tinha noção que estava focada em ti, mas provavelmente eu já me estava a apaixonar sem saber. Algum tempo depois percebi tudo, percebi que já sabia mais de ti do que pensava, percebi que já sabias muito de mim, percebi que te conheci sem intenções disso e que muito provavelmente não me apercebi antes porque aconteceu tudo tão naturalmente, sem tempos marcados, sem nada exigido, e isso faz-me feliz, ter-me apaixonado sem perceber faz-me feliz. 9 meses depois e nada disso muda. Eu continuo a apaixonar-me sem perceber, tu continuas a conquistar-me, continuamos juntos e isso não vai mudar. Vou continuar contigo até ao fim, até não aguentar mais contigo, que é a mesma coisa porque vou sempre arranjar paciência para ti, vou sempre arranjar mais amor, mais vontade de te mimar, mais razões para ficares comigo porque só assim é que estou bem.

18 de junho de 2015

YEY!

E assim acabou o 1º ano de licenciatura. Estou orgulhosa de mim mesma, fiz todas as cadeiras por avaliação contínua, não tive que ir a recurso a nenhuma e acabei com média de 14. Não é muito mas é mais do que eu esperava, muito mais.

30 de maio de 2015

I have a guardian angel, I call him grandpa

A despedida e o momento mais duro para mim foi aquele em que percebi que não te ia ver mais. Não chegou a ser uma despedida, porque eu nunca me despedi de ti. Nunca disse até já, até logo, até amanhã, até depois, até para a semana (o mais normal entre nós), até para o mês que vem, até para o ano. Não te disse nada. Não me despedi de ti. Não o fiz nem com um, nem com dois beijos. Não me lembro do que te disse no último dia em que falamos. Mas lembro-me do que te disse no último dia em que te vi. Foi no dia a seguir à noite em que devo ter chorado mais na minha vida. Foi no dia a seguir a ter recebido a pior notícia que me lembro. Foi no dia em que te vi deitado e que quase que era obrigatório despedir-me de ti. Não o fiz, apenas me cheguei perto de ti e disse baixinho que te adoro. Também me lembro do que te disse no último dia em que falei contigo. “Contigo”, porque eu não sei se falei para alguém me ouvir, eu não sei se continuas comigo, se continuas a olhar por mim, eu não sei. É tudo tão incerto, mas eu quero acreditar que sim, que me estás a ver e que estás a perceber todo o esforço que estou a fazer para que estejas orgulhoso de mim.

6 de maio de 2015

O diário de uma caloira chegou ao fim



Acabaram-se as nódoas negras, acabaram as pernas doridas, acabaram as calças rotas e sujas, acabaram as sapatilhas e botas estragadas, acabaram-se as feridas nas mãos, acabaram-se as dores nas costas por passar horas de "cu pra baixo", as dores nos braços por fazer prancha, acabou o mau cheiro dentro da mala, acabaram-se os banhos às 3h da manhã para tirar farinha/ovos/iogurte do cabelo, acabou o receio de ser castigada, acabou o despertador para as 7h da manhã, acabou-se o medo da quinta-feira mas também acabou o companheirismo, o apoio, a união e o que dizem ser o melhor ano das nossas vidas.

27 de abril de 2015

7 meses

Não sei se tens ideia de quão bom é acordar e lembrar-me que te tenho comigo. De me deitar depois de um dia cansativo e aperceber-me que continuas do meu lado. Saber que chega sábado (ou o dia mais próximo de estar contigo) e a felicidade começa a infiltrar-se em mim. Tenho passado os melhores momentos da minha vida contigo, e não sei como nem porquê mas a cada dia que passa consegues impressionar-me mais e fazer com que me apaixone ainda mais por ti. Mesmo quando eu começava com as dúvidas, tu sempre me fizeste perceber que o melhor era continuarmos juntos. Se previas o futuro, se tinhas esperança de dias melhores comigo, não sei, mas sei que acertaste. Nunca pensei ou sequer sonhei voltar a ter paciência para uma relação, mas isso era porque nunca te tinha imaginado como meu namorado. Agora nem durante um segundo me arrependo do que quer que seja, sei que todas as decisões que tomei foram as correctas porque me trouxeram a este ponto e a esta imensa felicidade.

26 de março de 2015

O dia em que decidi querer parar de ter uma baixa autoestima

"When it comes to being gentle, start with yourself, don't get upset with your imperfections"

20 de março de 2015

Ohh, faculdade

No primeiro semestre passei a todas as cadeiras à primeira, com notas entre o 12 e o 16, e embora saiba a pouco, também soube a conquista. Este semestre ainda não consegui ser positiva em momento algum, tudo me parece uma ameaça e sinto que não só me vou desiludir, como vou desiludir quem espera muito de mim. Parece que só saber as coisas não chega e que não "entra" mais nada na minha cabeça. Ainda por cima está a chegar o mês do julgamento, do cortejo, das decisões e sei que de tudo, o que mais me pode abalar é isto. Se no julgamento perceber que todas as quintas-feiras não valeram de nada, que o meu esforço não vai ser recompensado, que não vou chorar de alegria assim que chegar a casa e que ao trajar não me vou sentir completa.
Só espero estar errada nisto tudo e que em Junho me sinta mais orgulhosa que ninguém.

22 de fevereiro de 2015

(back to 14th february)

Sempre tive vontade de encontrar o amor da minha vida. Uns dias pensava que devia parar de o “procurar” em todas as pessoas, outros dias insistia que já tinha conhecido mas podia não me ter apercebido. E outro (ou outros) dias, houve um rapaz que não desistiu de mim, por muito que eu o afastasse. Que me punha ansiosa várias vezes e achava piada, que me dava prioridade, que me preferia mesmo com todos os defeitos que já lhe tinha mostrado. Que, quando se apercebia que eu estava nervosa, me acalmava sem ter essa obrigação, que fica desconfortável só para que não haja nada que eu me possa queixar, que sempre fez questão de me ir buscar e levar a casa, que só saia quando visse que entrei de forma segura e que já podia ir embora descansado, que faz todos os esforços que estão ao seu alcance por mim, que sempre falou de mim aos amigos, seja de que maneira for. Que se preocupava com a minha opinião, que mostrava que tinha medo de me perder, que me fez feliz desde o primeiro dia, que me mima sempre que pode, que percebe os erros que faz e tenta corrigi-los, e muitas outras boas atitudes da parte dele. Esse rapaz é, muito provavelmente, o amor da minha vida. Aquele que sempre procurei mas que quando parei, e evitei pensar nisso, apareceu. Apareceu na melhor altura, no melhor momento. Alguém que me faz tão bem consegue mudar sempre o meu dia, consegue fazer-me sempre acordar com vontade de viver, consegue pôr-me a sorrir quando menos espero, consegue fazer-me sentir bem quando o dia me corre mal desde o pequeno-almoço. Alguém que me faz tão bem, alguém assim, devia ser preservado por toda a gente que o encontra.

1 de janeiro de 2015

31 de dezembro

Sem dúvida que o melhor de 2014 foste tu. A minha melhor escolha foste tu. A minha maior certeza foi aceitar (e querer) ficar contigo. Os melhores dias, semanas, meses foram do teu lado. Os maiores arrepios foram graças a ti. Só tenho que te agradecer por tudo o que me proporcionaste.
Que 2015 nos faça mais e melhores, mas principalmente, que te faça mais feliz a ti porque mereces mais que tudo. Adoro-te.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.