22 de dezembro de 2014

22 de dezembro

Eu sabia que não devia ter "escavado" tão fundo, mas também sabia que se não fosse hoje, um dia teria de ser e já muito me admiro de não ter sido antes.
Adormecer a chorar por medo de nunca a conseguir superar, por medo de tudo o que viveram ainda não ter sido esquecido, por medo de não fazeres nem dizeres tanta coisa por causa dela ou pelo que passaste. Eu sei que comparando as coisas ainda tenho muito que caminhar e o meu problema é não saber se este medo me vai deixar fazer essa caminhada.
Podes dizer o que quiseres, mas se as ações contrariarem isso, de nada adianta. Embora não tenhas culpa das minhas inseguranças, sinto-me comparada a toda a hora, se não por ti, por mim e isso é horrível.

10 de dezembro de 2014

9 de dezembro

Um ano depois e mesmo assim a dor não passa e as saudades não acabam. Não imaginas o aperto que tenho sempre que alguém fala de ti, do quanto me mimavas e do quanto gostavas de mim...
Às vezes ainda penso que uma das vozes que passam pela porta é a tua e que a qualquer momento vais entrar em casa, ou que quando eu chego tu vais estar lá à minha espera.. E é aí que me lembro que nunca mais te vou ver.
Tenho tantas mas tantas saudades de te ter ao meu lado, de te ouvir criticar e elogiar, de me dares razão e também de me tirares, de me "obrigares" a crescer, de me ajudares em tudo, de não me deixares desistir de nada, até de me preparares lanches.. Engraçado como não me dizias que não a nada, fazias tudo o que te pedia e eu ainda achava que não valia nada para ninguém ou que ninguém gostava o suficiente de mim. Cuidaste de mim desde sempre e eu nunca te mostrei o quão grata estava e estou.
Punhas a família e os amigos à frente de tudo e se houve alguma coisa que me deixou com vontade de sorrir há exatamente um ano atrás foi ver que amigos e pessoas que gostavam de ti não faltavam. Toda a gente falava bem de ti e eu só pensava na estúpida que fui durante 18 anos por nunca te ter mostrado o quanto gostava de ti e o quanto valias para mim. Nunca vou conhecer ninguém como tu, tão pouco alguém melhor. Só gostava de te ter ao meu lado, pelo menos mais uma vez para parar de me sentir mal comigo por não me ter despedido de ti em condições. Desculpa por todas as vezes que virei costas sem ouvir tudo o que tinhas para me dizer, por todas as vezes que deixei passar ao lado coisas que fazias por e para mim. Desculpa por tudo e obrigada por me teres dado o orgulho de te chamar avô.

21 de novembro de 2014

21 de novembro

Não te troco por nada, faço tudo por nós. Para que continuemos a ultrapassar tudo lado a lado. Para que nada nos derrube, para que o que sentimos não acabe, para que não nos esqueçamos de como nos fazemos felizes mutualmente e para que não te esqueças que só estou e sou completa contigo. Todos os momentos contigo são incríveis, em casa, na rua, ao sol, à chuva, onde quer que seja, a fazer seja o que for. Acordar e saber que tenho do meu lado alguém incrível como tu, alguém me adora, é a melhor sensação do mundo.

6 de novembro de 2014

6 de novembro

És o melhor que tenho, é em ti que penso quando tudo está mal e, mesmo que tu não tenhas essa noção, consegues acalmar-me. Acalmar-me sem estares comigo, sem eu estar nos teus braços, sem te ouvir... só de pensar em ti.
Se há uns meses me dissessem que ia estar tão apaixonada e tão feliz com alguém como estou contigo, não acreditava e provavelmente ainda me ria por achar que estavam a gozar comigo. Mas ainda bem que apareceste, ainda bem que lutaste por mim e pela minha confiança. Não há nada que me orgulhe mais na nossa história como na maneira que sempre lutaste por mim e por perceber que nada, mas mesmo nada, te fez desistir de mim.
É de alguém como tu que toda a gente precisa, e é de ti que eu preciso.

19 de outubro de 2014

19 de outubro

É impossível para mim escrever quando estou feliz, por isso obrigada por fazeres com que tenha deixado a caneta e o caderno de lado.

12 de outubro de 2014

12 de outubro

"O meu sítio preferido não é no Porto nem em Lisboa. Não é em Paris, nem no Rio de Janeiro. O meu sítio preferido é aquela curva, que vem do teu ombro e vai à tua barba. O meu sitio preferido é onde me encaixo, onde sinto o teu cheiro, onde roço a tua barba e toco a tua pele. No meu sítio preferido, não chove, nem faz sol. Não faz frio, nem faz calor. No meu sítio preferido há poemas no silêncio, silêncio nas palavras. O meu sítio preferido és tu em mim e eu em ti. Em qualquer lugar."

25 de setembro de 2014

25 de setembro

"Daniela eu já nem me lembrava como era sentir isto por alguém, és o melhor que há em mim e são discussões estúpidas, nada mais. (...) e se achas mesmo que isto não tem pernas para andar, estás enganada porque mesmo que não tivesse eu arranjava forma e faria todos os impossíveis por ti. Não quero perder o que há de melhor em mim."

22 de setembro de 2014

22 de setembro

Adoro estes dias para estar em casa, beber chocolate quente e comer torradas enquanto vejo um filme ou leio um livro. Adoro, sim, dessa maneira... porque o mau destes dias é que me fazem pensar em tudo, até no que pensava estar mais que esquecido, até no que pensava que nunca voltaria a pensar. Estes dias são terríveis para quem não esquece, para quem a memória é sua inimiga.

21 de setembro de 2014

new beginning

Quando vi e senti que as coisas começaram a mudar na minha vida, decidi mudar de "sítio" também. É bom começar de novo, é bom mudar sem medo e deixar o passado arquivadinho.

19 de agosto de 2014

sinto que está tudo a mudar e pela primeira vez gosto disso. estou a crescer em relação a todos os assuntos, estou a aprender a dizer não e a conseguir dizer sim ao que quero sem pensar nas consequências. já não sinto que alguém manda em mim e que faço as coisas para agradar toda a gente, mas sim para me agradar a mim. estou motivada para tudo, mente ainda mais aberta, o amor próprio cresceu e o optimismo também.
uma nova fase está a chegar, e depois de tantos esforços, vou conseguir sentir-me realizada.

6 de abril de 2014

time passes

Fiz 18 anos e não tive um discurso teu, um relembrar vindo de ti de todos estes anos que passaram... Fiz uma tatuagem. É sobre/para ti. Provavelmente não ias aceitar a ideia, mas depois acabarias por gostar.
Tenho muitas saudades tuas, muitas mesmo. Love you grandpa.

2 de março de 2014

9-12

Hoje sonhei contigo. Pela 3ª vez. Gosto que apareças nos meus sonhos, o único ponto menos positivo são as saudades, mas essas vou senti-las para sempre. Portanto, continua comigo, mesmo que seja só em sonhos.

26 de janeiro de 2014

Miguel Esteves Cardoso diz:

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?

O esquecimento não tem arte. Os momentos de esquecimento, conseguidos com grande custo, com comprimidos e amigos e livros e copos, pagam-se depois em condoídas lembranças a dobrar. Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.

17 de janeiro de 2014

Tenho saudades de amar alguém. Amar tanto que dói. Não me lembro da última vez que adormeci agarrada a uma almofada, ou que chorei de felicidade, ou que sorri para o telemóvel. Já não sei o que é isso sequer, mas sei que me faz sentir bem. Adoro sentir-me apaixonada. Ver beleza em tudo, gostar todas as músicas que passam, arrumar o quarto todos os dias e acordar bem disposta todas as manhãs. É.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.