30 de novembro de 2013

i will kill the spiders. i will share my fries with you when you’ve finished all yours and are still hungry. i won’t ever pop my collar. i will never be rude to your tummy- when i hear it growl and gurgle. i promise to bend down and reply respectfully. i will eat the mushrooms when we order the supreme pizza. i will kiss the papercuts. and the door-slammed finger, and the counter-bumped hip. i’ll try my hardest not to get annoyed when you whisper questions and comments during movies. i will be the big spoon. i will let you win at wrestling, sometimes. other times i will not. i will go faster. harder. i will pull when you want. and tease you when you don’t. i will send you random texts and leave you silly gifts. not always. not on schedule. just whenever i want to. whenever i think you need one. or seven. i will check your tire pressure. and remind you to take your car in. i will hold your hand. i will love you. i will love you. i will love you.

17 de novembro de 2013

Jay says:

És a amiga que nunca tive e tenho a perfeita noção que tu não estás sempre bem como aparentas dizer. Eu adoro-te demasiado para te querer mal. Não te quero ver triste. Quero-te ver a ser parva. Quero ouvir as tuas teorias parvas. Quero pegar contigo em relação ao gosto musical. Não me quero afastar de ti.

1 de novembro de 2013

É difícil para mim perceber que tenho alguém disposto a ajudar-me, mas não sei se o mais difícil será isso ou aceitar que estou sozinha. Ninguém fica e estou consciente disso. Mas para quê fingir que se preocupam quando estamos bem, se quando ficarmos mal e a gritar por ajuda ninguém o vai fazer? Porquê tanto cinismo? Acho que sou demasiado boa pessoa para este mundo. Quer dizer, as minhas "origens" sim, mas há sempre aquela personalidade extra que me transforma numa cabra de primeira. Embora ela exista, só a uso em situações extremas, e "lutar contra a maldade do mundo", não é uma delas. É como foder pela virgindade.
Mas entretanto, o meu lado inocente pode apelar? Pode pedir sinceridade? Já nem precisa pedir apoio, se houver sinceridade vou saber com quem posso contar. Não que eu seja fraca e precise que me levem ao colo para a etapa seguinte da vida, só preciso que não me mintam e não me façam sentir obrigada a ajudar tudo e todos. Sim, porque sou daquelas pessoas que se sente na obrigação de ajudar e apoiar alguém que me diz olá e/ou mostra preocupação pelo menos uma vez.
Já ouvi várias vezes que o mundo precisa de mais pessoas como eu e para ser sincera, até eu já pensei. Mas agora acho que o mundo precisa é de pessoas rijas que saibam lutar contra os outros 7 biliões e que não percam tempo a choramingar no blog.
© Traffic in the Sky. Design by Fearne.